7 dicas financeiras sobre o que fazer para sair do vermelho!

7 dicas financeiras sobre o que fazer para sair do vermelho!

Qual é o seu orçamento? Se você fizer aquele olhar preocupado, saberá que há mais pessoas nessa situação. De fato, a falta de educação no uso consciente do dinheiro é um grande problema no Brasil. Por isso, é normal buscar dicas financeiras.

Isso é provavelmente o que você está fazendo agora. Afinal, você está aqui por uma razão, certo? Não só isso, mas você também pode querer acabar com as dificuldades. Frases como “falta um mês para o dinheiro” e “o limite é a renda” são ruins para suas finanças – e você já sabe disso.

Para mudar isso, criamos este artigo com 7 dicas financeiras para sair do prejuízo. Aqui, você encontrará o pano de fundo para a inadimplência do Brasil — spoiler: é muito ruim — quais dicas podem melhorar seu orçamento e a importância de manter suas contas equilibradas.

Ficou interessado e quer saber mais? continue lendo!

Panorama padrão do Brasil

O número total de inadimplentes no Brasil atingiu um recorde histórico há alguns meses. Para se ter uma ideia, em janeiro de 2019, o total era superior a 62,1 milhões. Os resultados aumentaram e atingiram mais de 63,7 milhões em janeiro de 2020. Dados da Serasa Experian.

Na comparação com o mesmo mês de 2019, esse resultado aumentou 2,6% em 2020. A dívida principal é dividida nas seguintes partes:

  • Cartão bancário: 28%;
  • Utilidades: 20,5%;
  • Telecom: 10,7%;
  • Varejo: 12,3%;
  • Serviços: 11,1%;
  • Finanças: 9,9%.

Ainda assim, o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, observou que deve se estabilizar até o final de 2020. O motivo é uma economia em melhora, o que deve reduzir a taxa de desemprego. Na verdade, isso já aconteceu.

Continua após a publicidade..

Por exemplo, em janeiro de 2020, a taxa de desemprego atingiu 11,2%, o que significa que 11,9 milhões de pessoas não têm espaço no mercado de trabalho. No entanto, o índice ficou 0,8 ponto percentual abaixo do mesmo mês de 2019. Um ponto positivo, certo?

O que ninguém esperava era uma pandemia que mudaria todas as previsões – possivelmente incluindo a sua. Fica pior e mais habilidades financeiras são necessárias para equilibrar o orçamento.

Dados epidemiológicos

É importante notar que o comportamento dos brasileiros mudou um pouco devido ao coronavírus. Muitas empresas fecharam suas portas quando algumas cidades decretaram proibições de atividades não essenciais.

Pelo menos 600 mil micro e pequenas empresas faliram, segundo levantamento do Sebrae. Isso resultou em 9 milhões de demissões. Sem dúvida, esta situação também levou a um aumento da inadimplência.

O total de devedores do SPC Boa Vista Consumer Default Metrics aumentou 1,2% em março de 2020. O valor foi comparado a fevereiro.

Em abril de 2020, os resultados foram ainda piores. Um estudo do Instituto Locomotiva mostrou que 91 milhões de brasileiros deixaram de pagar uma ou mais contas naquele mês. Este número representa 58% da população adulta. Em outras palavras, quase 6 em cada 10 pessoas têm alguma dívida.

Isso acontece porque muitos brasileiros não economizam. Em 2019, apenas 10% das pessoas conseguiram ter algumas reservas – uma das dicas financeiras mais importantes. Esta situação surge devido à falta de emprego e à falta de educação financeira.

Já foi comprovado, inclusive, que 45% dos brasileiros não têm controle sobre seu orçamento. Dos monitorados, 59% tiveram dificuldade com essa atividade. Dito isso, se você considerar todos que cuidam de suas próprias receitas e despesas, mais da metade nem sabe se está fazendo certo.

Outro detalhe é que 57% não tem planos para este mês. Basicamente, a regra é: vá com o vento. rico? Excelente. Não? As compras são feitas com cartão de crédito ou débito. Essa realidade precisa mudar. Por isso, escolhemos as dicas financeiras que você verá a seguir!

7 dicas financeiras para se livrar das perdas

O orçamento desequilibrado criou algumas dificuldades. Além de nem sempre pagar suas contas em dia, isso pode prejudicar sua pontuação. Essa pontuação determina seu relacionamento com o mercado. Assim, mostra como será fácil conseguir diferentes tipos de empréstimos.

Geralmente, o processo é mais ou menos assim: Suas pontuações são baixas? Dificilmente você conseguirá algum tipo de crédito e, se tiver esse acesso, a taxa de juros será maior. Por outro lado, se a pontuação for alta, é mais fácil perceber esse benefício.

Embora não seja a única maneira, conseguir crédito é uma forma de renegociar dívidas, reduzir pagamentos e equilibrar suas finanças. A partir daí, você pode economizar dinheiro. Na verdade, essa é a principal meta financeira para 49% da população.

Se você está neste barco, por favor, fique calmo, paciente e disciplinado. Com dicas de orçamento, é mais fácil mudar as coisas. Basta considerar as sugestões abaixo.

1. Crie um plano financeiro

O primeiro passo é deixar de lado as desculpas e a preguiça. Você tem que levar sua situação a sério. Para isso, faça um diagnóstico preciso e planeje suas finanças. Primeiro, plote despesas e receitas, você pode fazer isso anotando todos os valores em um pedaço de papel e analisando os resultados.

Se necessário, execute esse processo por um mês para proteger seus dados. Pode parecer desnecessário, mas uma pesquisa revelou que 41% dos brasileiros têm poucas informações sobre suas contas básicas. Além disso, 59% desconhecem o valor dos produtos e serviços adquiridos a crédito e 38% dos inadimplentes vivem fora dos padrões de renda.

Então, como planejar sua vida financeira? Algumas dicas importantes são:

  • Ajuste seu padrão de vida ao seu orçamento;
  • Entenda todas as taxas e acompanhe o fluxo de fundos em sua conta bancária;
  • Compre apenas o que você precisa – use uma filosofia de consumo consciente e evite o desperdício. Isso é o que algumas das pessoas mais ricas do mundo fazem;
  • Sempre economize dinheiro – compare preços, evite comer fora, lembre-se da regra de Julius de Todo mundo odeia o Chris: “Se eu não comprar nada, o desconto será maior”;
  • Use seu dinheiro para trabalhar – depois de pagar todas as dívidas, invista em investimentos e compras.

Todo esse processo precisa ser feito em alguma planilha ou aplicativo financeiro. Liste todos os dados e analise a situação atual. Pegue e coloque o valor do mês seguinte que foi utilizado, por exemplo, no caso de um empréstimo consignado. Então, você já sabe que nesse período o salário recebido será menor.

Também categorizar as despesas. Divida-os em, por exemplo, habitação, transporte, educação, alimentação, lazer, etc. Essa é a maneira mais eficiente de entender como os valores são redundantes, reduzi-los ou eliminá-los.

Aqui, é importante lembrar que não há regras claras. Tudo depende do que é mais valioso para você. Por exemplo, a TV a cabo pode ser um item consumível para uma pessoa. Por outro lado, não. Por esse motivo, sua análise de orçamento precisa ser pessoal.

A partir disso, vale a pena determinar o percentual da taxa. Uma maneira de fazer isso é com algum método específico, como 50-15-35. Afirma que sua renda é distribuída da seguinte forma:

50% para despesas básicas: é o que você precisa para se manter no dia-a-dia. Por exemplo: habitação, saúde, educação, alimentação e transporte;

15% para prioridades financeiras: Se você tem dívidas, esse percentual deve ser usado para quitá-las. Caso contrário, você pode construir uma reserva para contingências e começar a investir;
35% para manter seu estilo de vida: para entretenimento, lazer e outras despesas importantes para você, como TV a cabo, salões de beleza, bares e discotecas, academias e compras.
O objetivo deste e de outros é fazer com que você gaste dinheiro de forma consciente. Então, você não precisa abrir mão do seu hábito. Você só vai priorizar o controle do orçamento. Com isso, aplicar esse truque financeiro fica muito mais fácil.

2. Tenha controle financeiro

O próximo passo é assumir o controle de suas finanças. Para fazer isso, faça uma anotação diária de todas as despesas. É o mesmo para crianças pequenas, entende? Só assim você saberá exatamente como está indo o seu dinheiro.

Faça pequenas mudanças em seu estilo de vida com base em seu diagnóstico anterior. Por exemplo, qual é o seu principal problema em ir a um restaurante? Comece a fazer em casa. Teste novas receitas, convide seus amigos para um jantar caseiro e sirva um prato principal para evitar a entrega quando você não tiver tempo para cozinhar.

Para viajar, escolha grátis. Parques, praças e praias são boas opções. Em algumas cidades, também há cinemas e espetáculos de teatro gratuitos ou de baixo custo. Outra boa possibilidade são os serviços de streaming. Assim, você pode maratonar várias séries e assistir filmes sem investir muito dinheiro para isso.

3. Negociar dívidas

O endividamento é um problema sério – você já deve ter notado os dados padrão. Portanto, os alertas financeiros agora referem-se ao pagamento de dívidas pendentes. Isso tem que ser uma prioridade.

Porque? Principalmente porque os juros pagos são sinônimo de dinheiro jogado fora. Assim, pagar a dívida é a mesma coisa que avaliar os salários. Para isso, foi previsto um valor específico em seu plano.

Além disso, negocie com os credores. Primeiro, veja quanto você pode pagar por mês, ou se tem o valor máximo para quitar sua dívida em dinheiro. Em seguida, entre em contato com o credor e verifique a taxa de juros paga. Veja o que está disponível e se cabe no seu orçamento. Se isso não for possível, anote todos os valores em aberto e seus detalhes. Então, procure por empréstimos pessoais online.
Lembre-se, este deve ser o último recurso, mas é uma boa opção para pagar menos juros. Por exemplo, se você tem uma grande dívida de cartão de crédito com uma taxa de juros mensal de 8%, considere pagar a dívida em dinheiro.

Em seguida, procure linhas de crédito com taxas de juros mais baixas. As taxas de folha de pagamento são de até 3% ao mês. Assim você paga menos, equilibra suas finanças e garante que as parcelas cabem no seu orçamento.

Cuidado com empréstimos falsos. Existem muitos golpes no mercado. Portanto, escolha uma instituição respeitável e respeitável. Além disso, nunca pague o valor antecipadamente. Essa prática é proibida, ok?

4. Reduza os gastos

Valores desnecessários devem ser revistos. As despesas em excesso precisam ser eliminadas ou reduzidas, pois essa é a chave para uma vida financeira saudável. Para isso, você precisa de disciplina.

Com ele, você pode ajustar seu estilo de vida de acordo com seu orçamento. Não só isso, mas também garante que todas as medidas tomadas até agora sejam eficazes. Com o tempo, a dívida será paga e você poderá criar um fundo de emergência.

Com isso, a ideia é simples: economize uma certa quantia por precaução. Isso pode acontecer quando você perde o emprego, sua renda cai repentinamente, você precisa de cuidados médicos ou viaja inesperadamente.

Este fundo de emergência depende de como você trabalha. O salário médio é de seis meses. Então se você ganha 3.000,00 reais, você deve economizar 18.000,00 reais. No entanto, esse número pode ser menor ou maior.

Se for funcionário público e tiver um emprego relativamente estável, o valor equivalente pode ser de três meses. Ou seja, pode ter 9.000,00 reais em vez de 18.000,00 reais. Por outro lado, se você for autônomo ou empresário, o prazo é estendido para nove meses. Então, de 18.000,00 reais para 27.000,00 reais.

Esta dica financeira garantirá que você esteja preparado para qualquer situação que surja em seu caminho. Além disso, para essa reserva de contingência, você precisa se acostumar a economizar pelo menos 10% de sua renda. Se você puder economizar mais, melhor ainda.

5. Aumente a receita

Sua instituição financeira deve sempre considerar sua renda. É possível atingir esse objetivo mesmo que você ganhe muito pouco. No entanto, uma ideia é aumentar sua renda. Pode ser por meio de um aumento, mudança de emprego ou aceitação de trabalho adicional.

Existem várias opções para ganhar mais. Algumas dicas são:

  • Vender roupas que você não usa mais;
  • Cooperar com redação, tradução, transcrição, consultoria ou outros serviços;
  • Passear o cão;
  • Como pet sitter, ou seja, alguém que cuida dos animais enquanto o dono viaja;
  • Alugue sua casa ou quarto no AirBnB;
  • Oferecer aulas particulares;
  • Fazer artesanato.

Sua decisão depende de suas habilidades e preferências. Aqui, o importante é a criatividade. Assim você pode aumentar sua renda e ainda fazer o que ama.

6. Defina metas

Metas pessoais podem ajudá-lo a manter a disciplina e continuar. Então, pense no que você quer alcançar a curto, médio e longo prazo. Pense no que você quer fazer depois que todas as suas dívidas forem pagas – mas seja realista ao definir suas metas! Aqui, eles podem ser substituídos:

  • Comprar uma casa, comprar um carro
    para viagens internacionais ou intercâmbio;
  • Alcançar a aposentadoria.
  • Observe o custo médio de cada um dos seus sonhos e determine quanto você deseja economizar a cada mês.
  • Defina também prazos para atingir cada meta. Isso deixa mais claro o que precisa ser feito.

Você também pode direcionar a possibilidade de fazer um investimento. Em qualquer caso, as metas devem ser divididas por período:

  • Curto prazo: Metas alcançadas em apenas alguns meses. Por exemplo, saldar dívidas e começar a economizar dinheiro ou seu fundo de emergência;
  • Médio prazo: Abrange metas maiores envolvendo valores maiores. Eles geralmente chegam dentro de um ano ou dois. Isso vale para programas de intercâmbio, viagens internacionais ou festas de casamento, ou mesmo a compra de um carro;
  • Longo prazo: considere metas que exigem mais planejamento e investimento. É o caso de comprar uma casa e planejar a aposentadoria.

Para identificar esses objetivos, vale a pena utilizar o método SMART. Embora não seja uma dica financeira, o método pode ser usado para essa finalidade. Basta criar um destino:

  • Específico;
  • Mensurável;
  • Alcançável;
  • Relacionado;
  • Temporal, ou seja, associado a um período.

Por exemplo, em vez de dizer que você quer comprar um carro, defina sua meta da seguinte forma: “Quero comprar um carro nos próximos dois anos. Portanto, vou economizar R$ 800,00 por mês e investir esse valor diretamente no Tesouro , seja recompensado”.

Você entende a diferença? Em vez de conquistá-lo “quando puder”, você deixou claro o que quer e como vai conseguir. Isso faz parte do planejamento financeiro e uma dica fundamental.

7. Finanças

Uma dica financeira final é investir em conhecimento. Quanto mais você ler e pesquisar sobre o tema, mais poderá economizar, economizar e investir. Assim, em vez de gastar menos do que ganha, sobrará dinheiro e conseguirá atingir seus objetivos.

  • Para aprender, aproveite livros, textos de blogs, vídeos do YouTube e até cursos online – são muitos de graça! Títulos que lidam com finanças pessoais de maneira fácil incluem:
    T. Harv Eker O Segredo da Mente Milionária;
  • Pai Rico Pai Pobre de Robert T. Kiyosaki;
  • Como organizar sua vida financeira, Gustavo Cerbasi;
  • O homem mais rico da Babilônia, George S. Clason;
  • Mind the Money, de Ted Klontz e Brad Klontz;
  • Investidor Inteligente, Benjamin Graham;
  • The Millionaire Next Door, de Thomas J. Stanley e Danko Will;
  • Eu quero ser rico, Rafael Seabra;
  • Os Axiomas de Zurique por Max Gunther;
  • Terapia Financeira, Reinaldo Domingos;
  • Casal inteligente rico junto, Gustavo Cerbasi.
  • Em todas essas peças, você encontrará dicas para ajudá-lo a organizar suas finanças. No entanto, existem cursos na internet que complementam esse conhecimento. Alguns deles são:
  • Como organizar um orçamento familiar, da Fundação Getulio Vargas (FGV);

A importância de manter o saldo da conta

Organizar suas finanças é uma forma de melhorar sua qualidade de vida. Não há necessidade de se preocupar com contas e você pode evitar problemas decorrentes da falta de controle orçamentário. Não apenas isso, mas é a chave para um futuro pacífico – incluindo uma aposentadoria melhor.

Afinal, como você vai tomar uma decisão informada se mal sabe quanto dinheiro ganha e gasta em um mês? Somente com essas informações é possível definir o que fazer, controlar seu dinheiro e ajustar seu dia a dia.

Lembre-se de envolver toda a sua família neste processo. Além de ser uma forma de incentivar a educação financeira para todos os envolvidos, esse objetivo deve ser compartilhado. Com um propósito comum, todos mudam sua relação com o dinheiro.

Por fim, as dicas financeiras também estão relacionadas a evitar dívidas, principalmente cartões de crédito, pois é uma das mais caras. Para se ter uma ideia, a taxa média de juros em março de 2020 foi de 326,4% ao ano.
Assim, você usa o cartão de forma controlada apenas quando precisa, evitando as compras do dia a dia. O resultado é manter seus pagamentos de contas em dia e sua conta corrente azul.

O que você acha de colocar essas dicas financeiras em prática? Aproveite o conteúdo e use as dicas a seu favor. Você vai achar que vale a pena porque os resultados serão os melhores.

Quer saber mais sobre como se livrar de problemas? Compartilhe este texto em suas redes sociais e mostre aos outros o que eles podem fazer para se organizarem com dinheiro!

Fontes: https://www.bv.com.br

Bussola ADM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *